terça, 25 setembro 2012 15:37

Quem somos?

Contributo de Albérico Afonso.

Pensar o Bloco, encontrar-lhe um caminho para que se reforce e prossiga, refletir sobre o momento trágico que vivemos, encontrar propostas para um combate eficaz à vandalização neoliberal, tentar ultrapassar velhos métodos e edificar novos processos de funcionamento, superar correntes e libertar amarras, foram as razões, a nosso ver mais que suficientes, que estiveram na base da apresentação da moção B.

Este combate não começou só agora.

Durante o último ano e meio foram apresentadas listas alternativas às da direção em vários concelhos e distritos do país.

Aí nos encontrámos e partilhámos inquietações e perspetivas.

Foi um começo de encontro.

Encontrámo-nos na preocupação comum com a perda de influência do BE na sociedade portuguesa; na preocupação com a política sincrética que a direção vem transparecendo no último ano e meio; na inquietação com a falta de democracia interna que tem por fim assegurar a perpetuação de situações que supostamente se queriam ultrapassadas.

Estamos determinados em contribuir para a construção de um partido mais plural, mais democrático, mais participativo e mais credível. 

Estamos, sobretudo, determinados em concorrer para a construção de um Bloco mais atuante e interventivo na realidade portuguesa, um Bloco próximo de cada um e cada uma, um Bloco sensível que ouça o bater de coração dos que eternamente pagam todas as crises.

E, finalmente, um Bloco em que ninguém se sinta estrangeiro dentro do seu próprio partido.

Partilhar


XI Convenção do Bloco de Esquerda

Propostas do Bloco para a habitação

Autarquias

adere

Vídeos

Tempo de Antena - Março 2018

resolucoes

 

videos bloco

 

tempos antena

Esquerda Europeia