×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 71
segunda, 18 maio 2009 22:57

"Sistema de investigação português é altamente instável"

Miguel Portas e Marisa Matias no debate em Angra do HeroísmoO sistema de investigação em Portugal "depende em grande medida de trabalho precário realizado por bolseiros, e é vulnerável porque tem fraco investimento directo do orçamento de Estado", denunciou Marisa Matias, durante o debate sobre o papel da Ciência na Europa e nos Açores, realizado esta segunda-feira em Angra do Heroísmo, e em que também participaram o professor de Biologia Paulo Borges, Paulo Mendes, do Bloco de Esquerda açoreano, e Miguel Portas.


Paulo Borges salientou as dificuldades em fixar investigadores nos Açores, devido à falta de recursos financeiros e materiais. O professor de Biologia falou sobre a organização e distribuição dos centros de investigação no arquipélago, evidenciando as áreas prioritárias: mar e recursos marinhos, investigação na área terrestre, e destacou o papel dos fundos destinados às regiões ultra periféricas (RUP).

Miguel Portas salientou dois paradoxos: quanto mais internacional e mais alargado é o sistema de investigação nacional, mais precário é; Por outro lado, quanto mais democrático é o acesso à universidade mais caro é para os estudantes, ao passo que quando era elitista, antes do 25 de Abril, era gratuito.

Marisa Matias acrescentou um outro paradoxo: apesar de todos os problemas que enfrenta o sistema de investigação nacional, e dos problemas identificados no debate, o ministério da Ciência e do Ensino Superior é o que mais tem passado incólume das criticas ao PS, sendo mesmo apontado como a coroa da glória.

Partilhar


XI Convenção do Bloco de Esquerda

Propostas do Bloco para a habitação

Autarquias

adere

Vídeos

Tempo de Antena - Março 2018

resolucoes

 

videos bloco

 

tempos antena

Esquerda Europeia