sábado, 03 outubro 2009 02:46

Louçã: "Depois de Sócrates, vamos tirar a maioria a Rui Rio"

A eleição dum vereador no Porto retira a maioria absoluta a Rui Rio. Foto Paulete MatosO comício das candidaturas bloquistas no distrito do Porto juntou centenas de pessoas no cinema Batalha. Às intervenções dos candidatos seguiu-se a de Francisco Louçã, que viu no resultado das legislativas o início do colapso da alternância do bloco central.

 


O coordenador da Comissão Política bloquista começou por partilhar com as cerca de 400 pessoas presentes no Batalha as "três grandes lições" que tirou dos resultados das legislativas. Em primeiro lugar, "a confirmação de que a derrota da direita é duradoura", com o score do PSD a 27 de Setembro a ser semelhante ao alcançado por Santana Lopes em 2005. "E mesmo somados ao CDS, esse partido de manhas submarinas, continuam a ser uma parte incapaz de responder aos problemas do país". Em segundo lugar, "a fragilidade e a queda do PS vai mudar o regime político e económico", já que para Louçã "quem quis retirar
a maioria absoluta ao PS fê-lo com a certeza que a maioria era uma parte da crise". E por último, o resultado do Bloco "mostra que somos já um grande partido nacional e temos de passar a ser um grande partido nas autarquias".

A política autárquica do Porto também foi tema desta intervenção final, com Louçã a garantir que "só o Bloco tem a capacidade de vencer a maioria de Rui Rio". "Não pode haver nenhuma compensação para quem pensa que a política é uma troca de gamelas", afirmou Louçã em referência a "uma candidata que diz que trocaria uma gamela por um lugar à frente da Câmara do Porto. Nós queremos acabar com a política que nos trouxe a gamela da total irresponsabilidade", concluiu o deputado bloquista.

O papel do Bloco no combate à maioria absoluta de Rui Rio foi também o principal tema da intervenção do candidato João Teixeira Lopes, que começou por arrancar uma grande salva de palmas ao recordar as palavras do presidente da Câmara do Porto nos últimos dias: "Ele disse que se perder a maioria pode coligar-se com o PS ou com a CDU, mas nunca com o Bloco porque isso seria contra-natura. Tem razão, dr. Rui Rio, não está na nossa natureza coligar-nos consigo!"

João Teixeira Lopes lembrou que a "cidade deve ser o espaço da democracia e do contraditório", para lembrar que no Porto "as associações cívicas que procuram apoio da autarquia têm de assinar um papel a dizer que não vão atacar o executivo camarário" e "os jornalistas perseguidos e ameaçados" por noticiarem os aspectos menos agradáveis do ponto de vista da coligação PSD/CDS. "Porque sabemos o valor da liberdade e da rebeldia, o Bloco fará a Rui Rio o que fez a José Sócrates: vai retirar-lhe a maioria absoluta", antevê o candidato bloquista.

Coube à candidata à Assembleia Municipal do Porto abrir este comício distrital. Alda Macedo defendeu uma "mudança de maré" nas políticas autárquicas e nos seus protagonistas. "É preciso acabar com as velhas formas de fazer política, que abrem caminho ao populismo e ao compadrio. Tolerância zero para estes políticos, contra a corrupção e pela transparência" foi o mote da sua intervenção, no que foi acompanhada pelos cabeças de lista de outros concelhos.

João Semedo, recém-chegado do jantar que juntou uma centena de pessoas em Vila Nova de Gaia, mostrou-se confiante na força do Bloco para combater o poder absoluto de Luís Filipe Menezes e lembrou "a prepotência de uma Câmara que mandou arrancar todos os cartazes do Bloco a anunciar este comício distrital. Mas seguramente não arrancará os votos da população de Gaia no Bloco de Esquerda", garantiu o candidato à vereação de Gaia.

Em seguida, o candidato matosinhense Fernando Queiroz elencou as cinco candidaturas independentes no distrito do Porto. "São todos ex-candidatos ou mesmo ex-presidentes que se zangaram com os seus partidos ou vice-versa. Alguns estão a contas com a justiça e outros foram já condenados. Vocês acreditam na independência desta gente?" perguntou o candidato à Câmara de Matosinhos. "Estas figuras estão interessadas na sua ânsia de protagonismo e de poder, para poder retomar os seus negócios por via do famoso triângulo autarquias - futebol - contrutores civis", defendeu Fernando Queiroz, prometendo fazer frente a estes políticos.

Por seu lado, Silvestre Pereira, candidato à Câmara da Maia, denunciou os "30 anos da gestão desastrosa da direita no concelho". "Com nove mil desempregados e sete mil pessoas a receber o rendimento social de inserção,  a fome e a miséria são uma ameaça constante" no concelho, diz o candidato. "Mas perante uma crise desta gravidade, o presidente da Câmara disse que a Maia é um paraíso. Só se for para os especuladores imobiliários!", respondeu Silvestre Pereira.

A candidata a Gondomar, Paula Canotilho, não poupou críticas à gestão de Valentim Loureiro, a quem acusou de promover "uma política de guetização". Quanto às razões para conservar o poder durante 16 anos, Paula Canotilho apontou "a fórmula mágica que tem dois ingredientes: o populismo e a corrupção". "Falamos de um concelho em que os prédios rústicos passam a urbanos num abrir e fechar de olhos e são comprados por tuta e meia e vendidos por milhões logo em seguida. É contra o caciquismo e a corrupção que hoje combatemos", afirmou a candidata bloquista gondomarense.

Em seguida, Miguel Vital explicou porque vale a pena votar no Bloco em Vila do Conde, dizendo que até o veterano autarca Mário Almeida já percebeu a razão quando há dias lançou o aviso: "que ninguém pense que o Bloco vai continuar a crescer". "É que estamos a 400 votos de lhe tirar a maioria absoluta", respondeu o candidato do Bloco a um concelho "onde o saneamento básico ainda não chegou a muitas freguesias e a política cultural continua a ser uma flor na lapela" do executivo PS vilacondense. "Tal como no passado dia 27, no próximo dia 11 vamos dizer 'estamos prontos!'. "As maiorias absolutas estão condenadas", concluiu Miguel Vital, recebendo o aplauso da grande plateia que se deslocou ao cinema Batalha para este comício das candidaturas autárquicas do Bloco no distrito do Porto.

 

Partilhar


XI Convenção do Bloco de Esquerda

Propostas do Bloco para a habitação

Autarquias

adere

Vídeos

Tempo de Antena - Março 2018

resolucoes

 

videos bloco

 

tempos antena

Esquerda Europeia